Obesidade infantil

Postagem: 07/06/2017 | Alimentação saudável

 

                A obesidade é uma doença não transmissível grave que tem afetado uma parcela da população mundial. No Brasil constitui o principal problema de saúde responsável por 72% de causas de óbitos segundo dados da Secretária de Vigilância Sanitária em Saúde, 2015.

                Essa doença pode ser evitada de forma preventiva já na infância, onde existe uma maior possibilidade de transformar e incentivar hábitos alimentares saudáveis, quanto mais precocemente for introduzido um aprendizado dinâmico sobre alimentação saudável maior a probabilidade de ser um ciclo vital preventivo e permanente, uma vez que uma das causas dessa doença é o hábito alimentar errôneo.

                A escola é um ambiente onde a criança passa boa parte de seu tempo, por isso tem responsabilidade sobre a formação de hábitos, o IBGE divulgou em 2016 a Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE, 2015), e os dados coletados foram alarmantes, pois referem que as preferências dos alunos por alimentos não saudáveis estão em torno de 41%, sendo relatados consumo de guloseimas por pelo menos 5 dias por semana.

                Para que haja uma reversão desse quadro todos devem estar engajados no mesmo objetivo, equipe de nutrição escolar, professores, coordenadores e pais devem incentivar e propiciar que os alunos façam escolhas saudáveis, o que muitos desconhecem são que essas escolhas são acessíveis aos alunos, porém muitos estão trocando alimentos in natura como arroz, feijão, hortaliças e frutas frescas por alimentos do tipo fastfood.

                O trabalho da equipe de nutrição anda na contramão com as preferências dos alunos o que pode causar aborrecimentos para a comunidade escolar,  professores, coordenadores e pais, que às vezes ouvem queixas por parte dos alunos que a comida não é gostosa e que não tem variedade, no entanto essas queixas são exteriorização da insatisfação de não poder consumir os alimentos  gordurosos, sendo importante checar o real motivo das queixas.

                Mudar esse quadro requer paciência, determinação, projetos de educação nutricional e união de toda comunidade escolar. Por isso a Nutrifam continua a reforçar a importância da conscientização alimentar no dia a dia.

 

 

Frédina Cristina Ribeiro (CRN 3- 41249)

Referências: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (goo.gl/USRBJ9); Ministério da Saúde (goo.gl/DJF14U) e Abeso (goo.gl/6iTvNA)

Por: Nutrifam