Mitos e verdades sobre o glúten

Postagem: 18/11/2016 | Alimentação saudável

                A busca por um ideal estético feita por meios superficiais e sem embasamento científico facilita que qualquer pessoa se torne modelo a partir da mídia e indique dietas restritivas e sem preocupação com a saúde.

                Com tantas dietas disponíveis, a busca rápida disponibiliza diversas formas para eliminar peso em um curto tempo e com grandes perdas para o organismo. Essa “facilidade” leva os mais imediatistas por resultados a se aventurarem em dietas exclusivas, como a dieta sem glúten. Que originalmente era apenas para pacientes da Doença Celíaca, uma doença autoimune e muito agressiva.

                O glúten é uma proteína presente em cereais como trigo, cevada, centeio, malte e aveia, que torna as massas mais maleáveis. Sua digestão é difícil e causa inflamação nas vilosidades intestinais, além do aumento da circunferência da cintura, devido ao inchaço abdominal.

                Nos pacientes celíacos essa inflamação leva a vários comprometimentos graves à saúde. Já para indivíduos saudáveis consumir glúten com moderação, assim como todos os alimentos calóricos, não causa problemas ao organismo.

                Quando se diminui o glúten da alimentação há a perda de peso, devido à ingestão de outros alimentos com menor índice calórico e mais digestíveis. Diversas são as dietas, mas todas levam ao mesmo problema das dietas restritivas: apesar da perda de peso, não são fáceis de serem seguidas por mais do que alguns dias e se torna insustentável para aqueles que mantêm o foco apenas na estética. Com a volta da alimentação normal, o peso perdido logo é recuperado com o consumo de alimentos calóricos.

                Mudanças comportamentais na alimentação devem ser acompanhadas pelo profissional de nutrição que elaborara um plano alimentar individualizado para cada paciente de acordo com o biótipo e a necessidade de cada pessoa, com isso a perde de peso será gradativa e efetiva.

 

 

Frédina Cristina de Oliveira Ribeiro (CRN 41249)

Referências: ACELBRA (bit.ly/2dNVCln) e CrN (bit.ly/2dNUcaF)

 

Por: Nutrifam
#Glúten #Dieta