Leite é vida!

Postagem: 07/06/2017 | Alimentação saudável

                Já está mais do que provado que o leite é essencial para o desenvolvimento das crianças: é o alimento com maior concentração de cálcio, mineral que age diretamente na formação de massa óssea – cerca de 70% dela é formada até a adolescência. Por isso, o leite é um alimento fundamental durante a infância, como também possui uma série de nutrientes que são importantes para o desenvolvimento da criança. Sem ele há o risco de surgirem deficiências nutricionais que podem prejudicar todo o crescimento.

 

Nutrientes que o leite oferece

                O cálcio é essencial para o desenvolvimento, manutenção e formação do esqueleto, funcionamento das articulações e boa dentição e ainda desempenha algumas funções relacionadas com a transmissão nervosa e coagulação muscular, importante porque nesta fase os ossos encontram se num estado de rápido crescimento, pelo que é necessário para fortalecê-los. Mas além dele, o leite tem proteínas, cuja função regeneradora repõe células e tecidos do organismo, potássio, mineral importante para o equilíbrio dos fluidos corporais e as contrações musculares.

                Como também fósforo, vital para mineralização óssea e o fornecimento de energia para as células; magnésio, que auxilia na absorção das proteínas e nos processos biológicos do corpo; vitamina A, que aumenta a imunidade, combate doenças de pele e melhora a visão; vitamina B1, que ajuda o fornecimento cerebral e cardíaco; vitamina B2, que protege contra a anemia e outras vitaminas do complexo B, que ajudam no crescimento e no ajuste do sistema imunológico.

 

Como o leite influencia no crescimento e desenvolvimento

                Dentre tantos nutrientes essenciais para o desenvolvimento infantil, o cálcio desempenha um papel de suma importância, pois ele é o mineral que está presente em maior quantidade no corpo humano. É também um nutriente essencial para a mineralização dos ossos e dos dentes e para a regulação de muitos aspectos metabólicos em diversos tecidos do corpo humano. A necessidade de uma alimentação rica em cálcio persiste para a vida toda, especialmente na infância e durante o desenvolvimento do pico da massa óssea, na fase de crescimento. Na fase de final da adolescência e início da vida adulta, garantimos o estoque para o futuro.

                Devemos sempre ingerir quantidades adequadas porque o cálcio é perdido diariamente pelo corpo em volumes consideráveis. Se essa perda não for compensada por uma quantidade correspondente, consumida via alimentação, várias doenças poderão ocorrer posteriormente como osteopenia (diminuição da massa de cálcio nos osso) e a osteoporose (falta de cálcio no osso). Na infância a ingestão baixa de cálcio e vitamina D causa raquitismo, uma doença que prejudica o crescimento ósseo e deforma o esqueleto. Observa-se, entretanto, que a ingestão de cálcio recomendada para as crianças e os adolescentes nem sempre é conseguida, especialmente se a ingestão de leites e derivados dor insuficiente.

Uma das principais consequências da deficiência de cálcio na alimentação infantil são:

  • Massa óssea pobre no nutriente (graves riscos de fraturas e osteoporose)
  • Diminuição da velocidade de crescimento
  • Insônia e diminuição da memória
  • Dentes que quebram facilmente

 

Caso não possa tomar leite, com o que substituir:

 

                Temos que avaliar separadamente o porquê de cada criança não poder ingerir esse leite para poder fazer a substituição, pois temos dois tipos de problemas:

 

  • A intolerância a lactose: que acontece por conta da ausência ou da baixa produção da enzima lactase, que é responsável por realizar a quebra de açúcar presente no leite. Sem essa ação ele permanece no intestino e causa desconfortos como dores, gases, diarreias e inchaços. Esse é um problema que costuma ser descoberto nos primeiros anos de vida, mas às vezes, o diagnóstico só é feito na fase adulta.
  • Alergia ao leite é uma resposta do sistema de defesa do corpo quando consumimos as proteínas do leite, queijos, iogurtes e derivados. As reações podem aparecer em forma de dificuldade respiratória e problemas de pele ou gastrointestinais. Normalmente, ela se manifesta entre os seis meses e 1 ano de idade.

                Por esses dois motivos, temos fórmulas infantis para substituição do leite, e ou leite de soja ou de cabra.

 

Jessica Barros (CRN 18.380)

 

Referências: Alimentação Infantil (José Akré); Cartilha Da Alimentação Infantil; Cálcio Na Alimentação Infantil (Abykeyla M. Tosatti Et Al.);  Consumo Alimentar De Micronutrientes Entre Pré-Escolares No Domicílio E Em Escolas De Educação Infantil Do Município De Caxias Do Sul (RS) (Juliana R. Bernardi Et Al.);  Alimentação E Nutrição Do Lactente (Acta Pediátrica Portuguesa); Consultora Científico-Nutricional; IPGS – Instituto de Pesquisas, Ensino e Gestão em Saúde; Artigo O Leite e as crianças: importância e recusa.

Por: Nutrifam
#Leite