5 dicas para incentivar seu filho a comer bem

Postagem: 13/07/2017 | Alimentação infantil

                Alimentar uma criança requer paciência e disposição, como também o conhecimento auxilia a tornar esta atividade mais prazerosa e agradável para todos.

                O hábito alimentar é formado na infância, sendo determinado pela família e pelas interações sociais as quais a criança é exposta.  Entende-se hábito como sendo um ato, uso e costume, ou um padrão de reação adquirido por frequente repetição da atividade (aprendizagem). O comportamento alimentar da criança está diretamente ligado às interações familiares, já que os pais exercem participação de educadores nutricionais.

                No contexto atual, nos deparamos diversas vezes com adultos que objetivam apenas alimentar a criança, esquecendo-se de nutri-las, em contrapartida encontramos também aqueles ansiosos que acabam coagindo e pressionando a criança no momento da refeição.

                Nos primeiros 2 anos de vida deve-se evitar ao máximo a oferta do açúcar, uma vez que o paladar está sendo formado e a criança já começa a ter preferências. É nessa fase que se deve variar ao máximo a oferta de frutas, legumes e leguminosas, expondo a criança aos diferentes sabores e texturas. No momento da escolha do alimento a ser oferecido, o adulto precisa diferenciar o seu paladar com o do paladar da criança que está em formação, o que ocorre geralmente é que um alimento que não é aceito pelo adulto também não é ofertado à criança.

                Entre 2 e 6 anos de idade, encontramos na criança uma necessidade de conhecer o ambiente, diminuindo seu interesse pelo momento da refeição, aliado a isso é frequente nessa fase a neofobia alimentar (medo de experimentar novos sabores).  As crianças também acabam diminuindo sua preferência por alimentos aos quais foram pressionadas ou coagidas a comerem, por isso é importante não tornar o momento da refeição uma guerra.

                É importante também estimular a autonomia da criança, no processo da alimentação, principalmente respeitando a sua saciedade. Forçar a criança a comer ou castigá-la se não comer, são atitudes a serem evitadas.  Não se deve também trocar as refeições por mamadeiras ou alimentos não saudáveis. Às vezes no medo da criança “passar fome”, os pais acabam cedendo a chantagens dos filhos, criando alimentação da criança como um hábito nocivo.

Saiba como incentivar seu pequeno a se alimentar melhor:

  1. Envolva a criança no processo culinário, desde a compra dos alimentos, até sua preparação, isso também a torna responsável pela refeição, o que facilita sua ingestão.
  2. Estudos comprovam que um mesmo alimento deve ser oferecido de 8 a 10 vezes e de formas diferentes, para que se possa afirmar que ele não foi aceito, por isso paciência e persistência são muito importantes nessa hora.
  3. Invista na apresentação, afinal todos nós “comemos com os olhos”. Atualmente existem utensílios que permitem cortar frutas e legumes em vários formatos (como estrela e coração), isso deixa o prato bem mais atrativo.
  4. Ofereça frutas e legumes em preparações como bolos, sucos, tortas e suflês, isso também aumenta a oferta desses alimentos e facilita a sua aceitação.
  5. Não se esqueça, os pais são o exemplo. Não dá para insistir com a criança tomar um copo de suco se vocês tomam refrigerante. A criança copia e observa tudo que o adulto está fazendo.

 

               O Seu Momento Nutrifam em escolas oferece refeições preparadas com todo o carinho e cuidado, levando em conta o aspecto nutricional dos alimentos, para que o seu filho também seja bem alimentado no ambiente escolar.

 

 

Bruna Catarino (CRN 29761)

Referências: Jornal da Pediatria (goo.gl/2tLmpS)

Por: Nutrifam